Núcleo 4

Domótica

O que é a Domótica? Como serão as casas do futuro? Com as tecnologias de domótica, serão bastante inteligentes! É possível “curtir” com robôs domésticos, controlar a TV com as mãos, controlar a luminosidade e a temperatura de uma sala a partir de uma aplicação num tablet. E ajudam a poupar energia.

Desde sempre o Homem procurou uma melhoria constante do seu bem-estar no seu lar. Da gruta pré-histórica, passando pela organização urbana das civilizações grega e romana, o lar foi assumindo um lugar de destaque na vida familiar e social dos homens.

Desde o aparecimento da electricidade, na segunda metade do séc. XIX, até aos anos 70 do séc. XX, conhecemos uma rápida escalada de engenhos e processos de automatização dentro da casa (tecnologia antecessora da edificação inteligente).

Com o aparecimento do microprocessador, abrem-se as portas para um novo mundo de possibilidades nesta área. De modo a facilitar as operações dentro de uma casa o Homem utiliza a ciência para resolver problemas do quotidiano. Assim, no final da década de 80 do séc. XX, começam a aparecer as primeiras tecnologias de Domótica (casas equipadas com componentes automatizados).

Aqui é possível ver robôs autónomos, controlar a televisão com as mãos, controlar a temperatura e os eletrodométicos e mudar a luminosidade do quarto.

anchor interface gestual

Domótica

MÓDULO 1

Interação Gestual, Interface Gestual

Interface Gestual

Descrição

O telecomando revolucionou a forma de ver TV. Mas as novas tecnologias permitem executar as mesmas funções apenas com o uso das nossas mãos. É o que se propõe neste módulo. Se acenarmos para o televisor é possível escolher o canal e controlar o volume. Tudo com um único gesto das mãos.

TOME NOTA

Quando acenamos, o televisor reconhece os nossos movimentos. O gesto da mão faz mover um cursor no ecrã que permite selecionar e controlar as diferentes funcionalidades disponíveis no menu. Como? A televisão dispõe de uma pequena câmara e software de visão que detetam o movimento. Quando tal acontece, a mão é reconhecida e sujeita a um seguimento constante.

O uso de telecomandos ainda é a forma mais comum de interação à distância com os aparelhos que temos em casa. Mas os gestos e a voz começam gradualmente a ganhar importância na interação com uma série de equipamentos domésticos.

anchor ambiente inteligente

Domótica

MÓDULO 2

Luminosidade Interior, Iluminação Inteligente, Poupança Energética.

Ambiente Inteligente

Ambiente Inteligente =
Poupança de Energia

Descrição

São cada vez mais comuns as chamadas “casas inteligentes”. A aposta na domótica tem permitido a aplicação da tecnologia a gestos diários nas nossas casas. O que fazer? Em primeiro lugar, selecionar o período do dia. Depois é só observar como as condições de luminosidade interior se adaptam às diferentes condições ambientais do exterior.

TOME NOTA

Ao selecionarmos o período do dia, a luminosidade interior adapta-se automaticamente às condições exteriores respetivas.

Por exemplo: de manhã, ao acordar, os estores são automaticamente acionados de modo a permitir uma entrada de luz gradual. Assim, de modo a poupar energia, a casa utiliza ao máximo a iluminação natural exterior. Se esta não for suficiente, o sistema compensa, ligando a iluminação interior. Na base deste processo está o uso de conceitos e tecnologias de domótica. Na prática, um sensor de luminosidade determina em cada instante a necessidade luminosa dentro da divisão.

Tecnologias deste tipo são cada vez mais importantes numa altura em que a eficiência energética está no cerne das preocupações. A automatização das casas contribui para o aumento do conforto residencial, como também para a sustentabilidade e economia energéticas. As aplicações da domótica, ao criarem ambientes interiores inteligentes, são cada vez mais comuns e fundamentais para esses objetivos.

Descobrir o encanto da memória escondida

no emaranhado das construções.

anchor controlo de acessos

Domótica

MÓDULO 3

Código de Acesso, Videovigilância, Acesso Personalizado

Controlo de Acessos

Descrição

O sorriso de cada visitante é o código de acesso a esta área do Ciência Viva. Sem um sorriso direcionado para o ecrã, não há autorização para prosseguir.

TOME NOTA

Esta casa é inteligente e consegue perceber quando uma pessoa está à porta. Como é que isso acontece? Com recurso a uma câmara e a um software que processa as imagens. A luz verde significa autorização de acesso à casa mas só se liga quando o sistema reconhece um sorriso na face do visitante. Esta técnica é já um clássico nas aplicações de visão por computador.

Analisando cada imagem que a câmara captura, o software de visão por computador extrai características que são usadas para determinar a presença, ou ausência, de um sorriso.

De modo a “aprender” o que é uma face e um sorriso, o sistema é previamente treinado com exemplos positivos e negativos, que são utilizados como termo de comparação.

Hoje em dia, os meios de proteção e sistemas de videovigilância assumem um papel de crescente importância, em particular no caso das nossas habitações. Na realidade, atualmente estes meios não se limitam apenas à funcionalidade de gravação de imagens, podendo ainda servir para extrair informação relevante e atuar de acordo, como, por exemplo, acionando um alarme perante um movimento no perímetro de proteção, ou mesmo, detetar e reconhecer pessoas e objetos.

anchor controlo remoto

Domótica

MÓDULO 4

Controlo Remoto de Eletrodomésticos, Interface com Eletrodomésticos.

Controlo Remoto

Descrição

O desafio neste módulo é simples e familiar: usar o tablet para ligar e desligar os electrodomésticos instalados na casa.

TOME NOTA

Nesta experiência, o tablet e os eletrodomésticos estão todos ligados na mesma rede. O módulo de domótica existente na rede e ao qual os eletrodomésticos estão ligados, permite que o visitante faça o seu controlo, remotamente, através de um interface instalado no tablet.

Esta tecnologia existe já em muitos eletrodomésticos de uso comum. Recorrer a este tipo de software permite comunicar instruções de controlo sem que haja uma interação física, ou seja, apertando-se simplesmente um botão.

Este sistema permite o controlo usando redes de comunicação com e sem fios. Os utilizadores podem assim executar remotamente ações que implicavam uma operação direta no aparelho.

O software para dispositivos móveis que podemos usar virtualmente em qualquer lugar, em como as funcionalidades e potencialidades de comunicar dados através de uma rede, facilitam a utilização dos eletrodomésticos.

No dia-a-dia, apesar do uso de telecomandos continuar a ser a forma mais comum de interação à distância com os equipamentos e aparelhos domésticos, o controlo através de dispositivos móveis, com gestos e voz, ganham cada vez mais importância, quer seja a partir de casa ou à distância, através da internet.

anchor eletrodomesticos autonomos

Domótica

MÓDULO 5

Aspiração Autónoma, Robot Aspirador.

Eletrodomésticos Autónomos

Descrição

Um robô aspirador é capaz de aspirar a casa, sem que seja preciso manipulá-lo.

TOME NOTA

Este robô aspira a casa, mantendo o chão limpo, sem necessidade de estarmos por perto e muito menos sem necessidade de o controlarmos com as mãos

Tal só é possível pela sua capacidade em detetar obstáculos, sejam eles o pé de uma cadeira, a parede ou até um degrau. Além disso, quando está a ficar sem energia, volta à estação base para recarregar. Isso acontece porque, além dos componentes de um aspirador normal, o robô está equipado com sensores que lhe permitem mapear o mundo que o rodeia, tornando-o autónomo

Há vários tipos de sensores: dos sensíveis ao toque, que evitam colisões, até aos emissores e recetores de feixes de infravermelhos que permitem detetar a presença de degraus. O uso de aspiradores robotizados há muito que deixou de ser do domínio da ficção científica. Nos dias que correm são comuns no mercado, estando em cada vez maior número nos nossos lares.

btt